1.6.12

sal e luz…

vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com o que se há de salgar? para nada mais presta senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. 
vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte. 
(mateus 5:13-14)

todos conhecemos este texto. ele aparenta ser de interpretação simples e de fácil aplicação. 

não quero me arvorar a fazer uma análise profunda, mas ando pensando muito neste texto; e falando bastante dele para as pessoas do meu convívio. tudo começou com uma conversa que tive com meu irmão andré, que é pastor, há alguns anos…

dizer que tanto a luz quanto o sal de nada valem em meio à luz e em meio ao sal, seria em demasiado óbvio. mas tem muito religioso que não se atenta para isto. então aqui vai: onde o sal precisa estar? no meio de todo e qualquer outro tipo de alimento. sal com sal, não faz sentido algum! onde a luz precisa estar? onde a escuridão parece ser a mais densa. luz, no meio de luz, não faz diferença nenhuma.


dois pensamentos em relação à luz:

a) a escuridão nada mais é do que ausência de luz. e tudo que é necessário para destruir a mais densa escuridão, é apenas um pouquinho de luz. as trevas não podem existir onde há luz. e não é a luz que tem de temer as trevas.

b) a luz não existe pra ser vista (embora seja visível e perceptível); ela existe para fazer enxergar (parafraseando um tweet do pr. ed rené kivitz que li um dia desses). ninguém fica olhando para a luz; mas sem luz, é impossível enxergar o mundo como ele é.


dois pensamentos em relação ao sal:

a) em uma refeição perfeita ninguém presta atenção no sal. ninguém fala nele, ninguém o nota. no caso ideal, o sal é totalmente imperceptível.

b) percebe-se apenas a falta ou o excesso de sal. e, importante, pior para a refeição é o excesso de sal do que sua falta.


pensamentos aleatórios, baseados no texto: 

no texto, Jesus diz que somos sal, antes dizer que somos luz. será que precisamos ser sal, primeiro, antes de sermos luz? será que não estamos viciados em querer ser luz 24hs por dia, sendo que deveríamos passar mais tempo sendo sal? será que com isso não estamos salgando demais a refeição, chamando uma atenção negativa para nós mesmos, quando nem deveríamos ser percebidos? será que sofremos da necessidade de sermos notados, mesmo que seja da maneira errada? será que, como corpo de Cristo, não estamos supervalorizando nosso chamado para sermos luz em detrimento ao de sermos sal? e será que é por isso que desconfiamos de todo e qualquer cristão que, em alguns momentos, prefere ficar anônimo e fazer uma silenciosa diferença, achando que ele "mudou de lado" ou está "negando sua fé como pedro"?

às vezes fico pensando quantas oportunidades maravilhosas não perdemos de ser sal, porque nos sentimos pressionados –uns pelos outros– a sermos luz…


14 comentários:

Thays disse...

Obrigada precisava ver esse texto com outros olhos...
acho q fiquei obcecada em ser luz, que perdi o foco...
Gosto muito de suas musicas elas me elavam a Deus, ouvi o dia inteiro o cd principio e fim, auhiauh beijos

Hercília disse...

Nunca havia pensado dessa maneira .. realmente ! Sal e Luz é o que temos que ser .. mas em "doses " certas !
Deus abençoe!!

juliana ferreira disse...

Por isso que sou tua Fân !!
tem unçâo
tem talento
tem carisma
tem simpatia
tem humildade
tem humor
tem dedicaçâo...
tem palavra de Desus a unica que possui o poder de transformaçâo pra melhor!!
vc é Sal e luz... GRAÇAS A Deus!!

Diogo disse...

Boa Noite Leo, Eu sou o cara que falou que você deveria escrever um livro na Livraria FNAC no Barra Shopping no Rio acho que você lembra de mim ... rsrs
Ótimo texto quem sabe um dia eu tenha a oportunidade de conversar com você sobre seus textos que D-s te abençõe sempre ....

André R. S. Gonçalves disse...

aqui uma pequena reflexão minha sobre isso: http://cotidianoconsciente.blogspot.com.br/2009/02/sal-luz.html

lg disse...

leiam o txt acima… do andré r. s. goncalves… é meu irmão… e serviu de inspiração para o meu texto… ;)

Nicole Gomes disse...

é sempre bom olhar algo 'velho' ou 'conhecido' com outros olhos. excelente reflexão, precisamos vigiar mais, meditar mais e sermos mais sal e luz na medida certa.
Deus continue te enchendo.
abraços.

Josh Tanner disse...

Obrigado... Eu não tenho palavras pra descrever o que sinto agora, é algo diferente, estranho, mas algo bom... Eu não conhecia o seu trabalho até essa semana... E senti fortemente que deveria passar a ouvir, e a buscar mais de Deus depois que ouvi seus louvores... Realmente essa interpretação me fez acordar... Encontrar o erro que eu procurava... Mais uma vez obrigado por ter sido o Sal em minha vida e a Luz onde havia escuridão em mim...

CUCA BOA disse...

é tão minunciosa suas palavras, leio releio esse texto e nunca pensei assim. Hoje vejo a passagem de outra forma, mais verdadeira eu diria...me fez pensar e pensar e pensar...

sem mais
(nate)

Jônathas Sant'Ana disse...

Ótima reflexão. Mostra um ângulo diferente do texto, mas que estava lá na nossa frente o tempo todo. Ainda estou pensando a respeito... Meu paladar ainda está se acostumando ao tempero e os meus olhos ainda estão meio ofuscados com a luz que essa sua reflexão jogou na minha cara.

Felipe Cunha disse...

Maravilhosa reflexão, Leo. Sinto euforia ao ler tais palavras.

De fato, ambos – sal e luz – quando exagerados tem sua função reversa. O sal faz a comida perder os diversos aromas, prevalecendo e tornando-se enjoativo; e a luz, quando exagerada, em vez de iluminar o caminho, embaça-o.

Penso que, como disse muitas pessoas se preocupam apenas em ser luz. E mesmo que aparentemente seja uma “boa” causa, transforma-se em mal. Isto porque precisamos estar em harmonia com todas as coisas, como disse Jesus sobre nos reconciliarmos com todas as coisas antes de trazermos oferenda ao altar. O cristão que quer mostrar o caminho deve fazê-lo com Amor. E este não é algo a ser “imposto”. Acredito ser esta a “margem” da qual os ateus se apegaram.

Devemos ser sal, no sentido de mostrar a luz sem cegar quem por ela precise passar.

Forte abraço,
Felipe Cohen.

Jhonatas Américo disse...

Estou entrando em uma nova estapa da minha vida, o evangelho está mudando para mim, muita coisa que eu tinha como verdade está desmoronando, posso dizer que estou conseguindo enxergar o que realmente o evangelho quer me mostrar, toda luz é visivel e de facil percepção, mas o principal objetivo dela é clarear o caminho daqueles que se encontram na escuridão .Demorei muito tempo pra entender isso...mas graças a Deus estou "vivo" .. rsrs... escutando um hino maravilhoso chamado "NOVO". Deus te abençoe

Arivano disse...

Leonardo te admiro por ser luz, mas acredito que es sobretudo sal. parabens irmao! sou seu fã! Haaa e um detalhe VOCÊ vai cantar no meu casamento! até lá!

Micaella disse...

Obg, Leo, por compartilhar conosco tal reflexão... Esta elucidação foi de grande valia para minha vida.